Categoria: Invisível Particular


Amor é encontro (o efêmero e o eterno)


Não existe coisa na vida mais bonita que o encontro. Do seu olho com uma paisagem bonita, da sua língua com o gosto da comida preferida, do pé com a grama gelada depois de uma noite no salto. Num breve cruzar consigo mesmo no espelho, na esbarrada com o melhor...

Eu queria ser sua lembrança bonita


Eu sei, a memória recente não é minha aliada. Nas nossas últimas conversas, beirei a psicose. Justo eu, que por tanto tempo defendi que seguíssemos sendo dois, jurei que morreria sem a sua respiração. Implorei descontroladamente, escrevi cartas a próprio punho, poderia até ter exposto a dor que eu sentia...

Amor é sobre dividir o mundo, não sobre ser metade


Amor é não ter medo do fim. É a intensidade do presente, a entrega total ao momento em que se vive porque quando se ama tudo vale a pena. O fim pra quem ama não existe porque cada ato de amor é eterno. O amor é maior do que o...

Biquínis, lingeries e intimidade


Estou numa das belíssimas praias do litoral catarinense. O meu paraíso é cheio de ondas: do mar e dos corpos de pessoas absolutamente diferentes e rigorosamente deliciosas. Envolta em peitos, bundas e coxas, questionei o que é mesmo a tal intimidade. Sim, porque na praia estamos expostos visualmente e expomos...

Amor não tem passado e nem futuro


Ninguém é o mesmo depois de amar. Há quem ame depois de uma longa amizade, há quem sinta o maior amor do mundo no segundo em que os olhares se cruzam, há quem ame intensamente por uma noite e acorde indiferente. É tudo amor. É tudo pra sempre. O amor...

Carta para Eliza


Hoje você nasceu, minha afilhada. Escolheu o dia de Páscoa provavelmente apenas pelo destino, sempre tão bondoso, e não por saber que para todos nós, que te amamos desde antes de sabermos quando você viria para este mundo, você é um renascimento. Você nasceu num domingo, Eliza. Um domingo que...

O empreendedorismo e as pessoas


Há algum tempo um amigo me chamou para uma conversa. “Preciso te pedir desculpas”, dizia. Sem entender qual era o motivo desse suposto perdão, fui ao encontro dele. Com uma cara de cansado e os primeiros sinais de cabelos brancos, ele me explicou que, mesmo como amigo, sempre julgou algumas...

Eu comi o Xico Sá


Foi tudo culpa do Nelson. O Rodrigues. Eu usava uma camiseta com a cara dele quando cheguei ao boteco. Vi o conhecido óculos lá no canto, numa mesa de amigos, com copos americanos, cervejas baratas e chinelos de dedo. No primeiro sinal de banheiro feminino – ó oásis das mulheres...

A não história


A música que você não fez sobre o nosso amor que nunca existiu foi minha trilha sonora todo o dia. Senti uma saudade quase louca de todas as noites que eu não passei olhando você dormir e da sensação de paz que nunca senti ao teu lado. Vi as fotografias...

Sobre barrigas negativas, fiu-fius e hipocrisias


Junto com a moda da barriga negativa (quem foi o imbecil que inventou isso?), vieram também centenas de milhares de textos sobre como as mulheres normais, com suas coxas curvas e barrigas tão positivas quanto o seu astral, merecem ser valorizadas. Nunca fui das negativas (nem de barriga nem de...

Contos de fadas, cantos de fado


Duas letras mudam tudo. Fazem de príncipes e princesas, histórias de violões tristes e vozes fortes. O que há de leve num, há de dolorido noutro. Nos contos de fadas, todos são príncipes e princesas. Mesmo com palavrões, cara de sono, maças envenenadas e beijos públicos. Nos cantos de fado,...

As coisas tão mais lindas


Me carinha as costas. Teu sorriso de cansaço é tão lindo que eu queria te fotografar. É a imagem mais bonita do mundo. Não sei onde começam meus braços, nem onde começam os teus. O mesmo calor que me amortece as pernas é o frio que me arrepia os braços....