Categoria: Informe Blumenau


Novas histórias para a Prainha


"Olha ali, a Prainha iluminada!". Eu estava encantada em ver aquela cena. Deveria estar magoada pela demora que levou aquele lugar a ficar fechado por tanto tempo. Deveria estar querendo entender porque, depois do sucesso do Ramiro Ruediger como espaço de lazer, a Prainha não se tornou prioridade máxima. Mas, não....

Carta aberta aos comerciantes da Antônio da Veiga


Antes de mais nada, quero dizer que não sou contra o desenvolvimento da cidade. No entanto, entendo que os costumes do nosso povo precisam ser estimulados de modo a manter a nossa pujança industrial e a tradição presente nas veias dos nossos cidadãos. (mais…)

Se não morássemos em Blumenau


Não sou de Blumenau. E, talvez por isso, varie entre momentos em que sou absolutamente turista nessa cidade onde vivo há mais de 10 anos com outros em que me pego com discurso absolutamente local – especialmente quando é hora de reclamar. Outro dia, ouvi um turista (sotaque paulista, meo)...

A árvore que viveu (e o sentimento de renascer)


Eu estou orgulhosa de Blumenau. Tenho muitos motivos para comemorar quando vivo numa cidade que consegue impedir o corte de uma árvore nem que, para isso, seja necessário desenhar (como as cores de giz de cera quase ironicamente riscaram o asfalto em frente à árvore), mesmo que seja necessário mobilizar,...

Flanar por Blumenau: um direito, um dever, um prazer


O fim de semana foi de ruas fechadas e sorrisos abertos em Blumenau. Teve Rota de Lazer ampliada (obrigada, Minha Blumenau!), lançamento do 100em1dia, Feirinha da Servidão Wollstein. Teve a oportunidade de olharmos para a nossa cidade sem a velocidade dos carros. De vermos as ruas não como caminho, mas...

Cerveja: finalmente estamos bebendo desta fonte!


Da logomarca da Capital Nacional da Cerveja não entendi muito. Mas uma coisa é certa: a data. Nossa primeira cervejaria é de 1860. Nos embebedamos e nossa ressaca durou algumas décadas até que nos redescobrimos. E essa é uma semana para comemorar o nosso aprendizado, que inibe o mal estar...

Eu moro no Vale Europeu do Globo Repórter. E você também!


O Globo Repórter, exibido na última sexta-feira (19), foi uma grata surpresa para o Vale Europeu. Embora as gravações tenham acontecido em 2015, começamos o ano com o pé direito e com um público talvez nunca antes visto contemplando a nossa região. Foi lindo, foi emocionante, foi comemorado e com...

Se é sobre música, não ouça ninguém


Essa época do ano é a minha favorita e também a que me faz acumular o maior número de desgostos. É Carnaval. A maior manifestação popular de um povo que prefere prestar mais atenção na polêmica do que na transformação, na bunda do que no samba-enredo, na ladainha de o...

O meio do caminho sempre existe


Entre o início e o fim de qualquer coisa, entre a segunda e a sexta-feira, entre o almoço e o fim do expediente. Existe o meio. Até para Drummond, tinha uma pedra que não estava no início nem no fim. Estava bem lá, você sabe, no meio do caminho. (mais…)

Não responda mais que não tem tempo


Só existe uma coisa mais chata do que gente que empurra as decisões com a barriga: quando essa pessoa é você. E ainda mais quando a desculpa está na ponta da língua e quase apagado do teclado de tanto que dizemos e digitamos: não tenho tempo. (mais…)

Qual é a sua meta para sua cidade para 2016?


Adoro listas. E sempre faço duas no início do ano: uma de sonhos e uma de metas. Elas precisam conversar. Se existe um sonho e, para ele, não existe uma meta, há algo errado. O contrário também demonstra um equívoco. E fiquei pensando outro dia como temos sonhos para a...

A meta é mudar o hoje


A lista de metas para o ano novo é quase um pergaminho pra muita gente. Exercícios físicos, alimentação mais saudável e voltar a estudar (inglês, mandarim, retórica...) são quase uma unanimidade. Tem também quem sonhe em empreender, outros para quem emagrecer é um objetivo e há ainda quem pretenda mudar:...