Curtametragem XXI


Quando todos dormiam, colocava o peito na mesa da cozinha e encostava o ouvido, bem forte, pra ter certeza que o coração batia. Não sabia se fazia toc-toc ou tun-tun. Estava quase certa de ser oca.

Outros textos

One Reply to “Curtametragem XXI”

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *