Pedido de ano novo


Sim, estamos em outubro. O clima de Natal está chegando, mas parece cedo pra chamar de ano novo. Não pra mim, que comemoro aniversário esta semana. Nunca entendi porque o ano novo não pode ser de cada um, no dia em que muda de idade. O ano-calendário é muito prático, mas não é lá a minha lista de pedidos, gratidões, flores.

Para o aniversário, enfeito a casa. Organizo pequenezas e lembro que foi nesta idade que aprendi o que é um arejador de vinho, quando montei o meu primeiro arranjo de garrafas vazias e comprei os meus primeiros souplat (ainda não sei se tem plural para essa palavra, mas vamos economizar um pouco de descoberta de mundo para o ano novo).

Vejo as roupas com a certeza de que hoje carrego mensagens mais verdadeiras do que ontem, a estante achando que li alguns dos melhores livros e a TV certa que aprendi a relaxar mais.

Rezo, penso positivo, me emociono. Fico mais à flor-da-pele porque estou menos na flor-da-idade.

A gratidão me inunda sempre na véspera. Porque no meu aniversário só consigo sentir o mais profundo amor. Sinto gratidão por cada gargalhada, meu olho enche de lágrimas pela certeza bonita de que não vou viver de novo a mesma emoção e com uma esperança – que sempre se concretiza – de que outras entregas virão.

Fazer aniversário é muito mais intenso do que celebrar o reveillón. E o meu pedido que se repete todo ano novo é celebrar com uma gratidão cada vez maior. Que o meu olho siga marejando de emoção, porque o meu peito aprende cada vez mais a ser marina.

Outros textos

3 Replies to “Pedido de ano novo”

  1. Que texto lindo Marina! 😀

    Concordo com você, o aniversário deveria ser o nosso ano novo, afinal é um novo ciclo que se inicia para nós, não é?

    Fiz aniversário na semana passada e, este ano, a nostalgia me abraçou mais forte que de costume. Vendo fotos, remexendo velhos cadernos, velhos livros, me peguei pensando nas coisas boas e ruins que já me aconteceram, fiquei feliz por ver que as boas me garantiram sorrisos e as ruins, aprendizados. Inclusive, uns dias antes, recebi a resposta de um e-mail de uma certa Marina Melz que alegrou um dia que havia começado bem desanimado. Obrigada!!

    Nesse mundo tão adulto, cheio de responsabilidades, pessoas apressadas e ocupadas, é bom ter um dia que seja só nosso (mesmo que ele seja compartilhado com várias outras pessoas que também fazem aniversário nesta data), para que possamos celebrar as alegrias, conquistas, amigos. Receber os abraços e as palavras mais carinhosas…enfim, ter um dia para chamar de nosso. O dia em que “estreamos” nesse mundo maluco, cheio de possibilidades.

    Sou contra desejar “Feliz Aniversário” antes do dia (sem querer ser intrometida), se puder me falar o dia…

    Obrigada por mais este texto!

    Marina, sempre Marina!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *